Qual a minha tabela de valores? E as Bem-aventuranças?

Jesus propõe a todos aqueles que deram a resposta da fé, comprometendo-se a segui-l’O, um ideal de vida, pelo qual se tornarão perfeitos, como perfeito é o Pai, estabelecendo nas Bem-aventuranças os princípios que devem animar esse ideal.

Mais do que normas morais, as Bem-aventuranças são “ideias-força”, com as quais Jesus quer mudar a mentalidade, os critérios e as tabelas de valores, em ordem à aquisição das disposições necessárias a quem deseja entrar no Seu Reino. Por isso, elas são para todos os cristãos. Constituem para todos indicação segura da meta para a qual devemos caminhar.

O espírito de pobreza, de mansidão, de paz, de amor à justiça, de perdão, de pureza deve impregnar as ações do cristão.

O cristão encontrará a liberdade  interior, a paz, a alegria, a verdadeira felicidade, vivendo um estilo de vida conforme ao de Cristo, em união com Deus e em comunhão com todos os homens.

1ª Leitura: Profecia de Sofonias 2, 3; 3, 12-13  —  “Deixarei ficar no meio de ti um povo pobre e humilde”
Não é de todo novidade o que o Senhor nos vai dizer no Evangelho ao proclamar as bem-aventuranças. Já no Antigo Testamento, como vemos nesta leitura, Deus Se revela como particularmente amigo dos pobres e humildes, daqueles que para Ele se voltam, O procuram, não se instalando orgulhosamente na sua auto-suficiência, porque reconhecem que só no nome de Deus encontram a salvação.

Salmo 145 (146) — Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus.

2ª Leitura: Primeira Epístola de São Paulo aos Coríntios 1, 26-31  —  “Deus escolheu o que é fraco aos olhos do mundo”
A maneira como a Igreja primitiva olhava para si própria, como se pode ver por esta passagem do Apóstolo, está na mesma linha da apontada leitura anterior e da que vai ser proclamada ainda mais claramente no Evangelho: Deus olha particularmente para os humildes, e, com eles, realiza as maiores e mais maravilhosas ações; assim neles mais se revela o poder da sua graça.

Evangelho: São Mateus 5, 1-12a — “Bem-aventurados os pobres em espírito”
As “bem-aventuranças” são o princípio do chamado “Sermão da montanha”. Nessas está resumido todo o espirito do Evangelho, a nova maneira de olhar para o mundo. Bem-aventurados aqueles que sabem encontrar a felicidade na fé com que olham para as coisas e para as circunstâncias da vida. Para esses, nada, nem mesmo aquilo que, visto superficialmente, poderia ser considerado como fonte de infelicidade, nada os fará infelizes. Mas não serão os olhos da carne, senão somente os do espírito, iluminados pela palavra de Deus, que poderão alcançar tão longe.

 

Quero presenciar a “grande luz”?

Nuno Nogueira