Padre António Justino Filho
25 Julho 2021
0 Comments

Multiplicar a nossa capacidade de partilhar e de ser solidários

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Estamos no 17º domingo do tempo comum! Vejamos o que a Liturgia da Palavra nos ensina neste 1º Dia Mundial dos Avós e dos Idosos:

A leitura do livro dos Reis (Rs 4, 42-44) fala de uma situação de grande carestia. As terras do Médio Oriente, onde a chuva era escassa, conheciam ciclicamente tempos de fome. Aliás, a palavra “fome” aparece 134 vezes no Antigo Testamento.

Um agricultor pobre renuncia aos poucos pães que tinha para si, pondo-os ao dispor do profeta Eliseu. E a sua generosidade foi abençoada, podendo saciar a fome a cem pessoas, sobrando ainda pão. Não é verdade que quanto mais generosos somos, mais somos recompensados? Cristo recordou: “Dai e vos será dado”.

imagem | unsplash

No Evangelho de João (Jo 6, 1-15) encontramos a descrição do milagre da multiplicação dos pães e dos peixes. Os milagres de Jesus acontecem como um serviço às pessoas necessitadas e não como exaltação do seu poder divino. Por isso, perante a iminência de o aclamarem como rei, “retirou-se novamente, sozinho, para o monte”.

Jesus, a partir do pouco que tinha um jovem: cinco pães e dois peixes, dá de comer a uma multidão de umas cinco mil pessoas. O milagre da multiplicação deu-se a partir de outro “milagre”: a generosa partilha de quem renunciou a ficar com os poucos pães e peixes só para si. Quantos problemas se resolveriam, de fome e de outras carências fundamentais, se houvesse mais generosidade e partilha? Jesus está na nossa vida para fazer o milagre de abrirmos o coração às necessidades do nosso próximo, para multiplicar a nossa capacidade de partilhar e de ser solidários.

São Paulo, escrevendo aos cristãos de Éfeso (Ef 4, 1-6), recorda o que nos une a todos como cristãos: “Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo. Há um só Deus e pai de todos, atua em todos e em todos se encontra”. Como é importante sublinhar o que nos une! Por vezes, ficamos apenas a notar o que separa um bispo de um padre, ou uma religiosa de um leigo. Não há cristãos de primeira, segunda ou terceira categoria. Todos somos estruturalmente iguais, com a mesma dignidade, apenas com missões diferentes na Igreja.

O Papa Francisco anunciou, a 31 de janeiro de presente ano, a instituição do Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, tendo afirmado: “O Espírito Santo ainda hoje suscita pensamentos e palavras de sabedoria nos idosos: a sua voz é preciosa porque canta os louvores de Deus e conserva as raízes dos povos. Eles recordam-nos que a velhice é um dom e que os avós são a ligação entre as gerações, para transmitir aos jovens a experiência da vida e da fé. Os avós são muitas vezes esquecidos e nós esquecemos esta riqueza de preservar as raízes e de as transmitir. Por esta razão, decidi instituir o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, que terá lugar na Igreja inteira todos os anos no quarto domingo de julho, na proximidade da festa dos Santos Joaquim e Ana, os “avós” de Jesus. É importante que os avós se encontrem com os netos e que os netos se encontrem com os avós, porque – como diz o profeta Joel – os avós diante dos netos sonharão, terão grandes desejos, e os jovens, haurindo força dos avós, seguirão em frente, profetizarão”.

Shear it!

Padre António Justino Filho

Comunidade Canção Nova Portugal. Está neste momento numa imersão missionária na Diocese de Évora

Top
TV CANÇÃO NOVA | DIRETO
Estrada da Batalha - Apartado 199 - 2496-908 Fátima | Tlf.: 249 530 600
© Copyright 2020

TV Canção Nova | Direto


Rádio Canção Nova | Direto


Multimédia