Padre António Justino Filho
11 Junho 2020
0 Comments

Solenidade do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cada Missa celebrada, todas as Eucaristias em que participamos são uma celebração do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo que Se oferece a nós, renovando e atualizando a Última Ceia de Jesus e a oferta da sua vida no calvário.

Liturgia da Palavra:

1ª Leitura | Deuteronómio 8,2-3.14b-16a

Salmo 147

2ª Leitura | 1ª Epístola de São Paulo aos Coríntios 10, 16-17

Evangelho | São João 6, 51-58

A festa de hoje começou a ser celebrada em Liège, na Bélgica, em 1246. O Papa Urbano IV, em 1264, alargou-a a toda a Igreja. Celebrar esta festa é proclamar a atualidade de Jesus, vitalmente presente na Eucaristia. Jesus é muito mais que um personagem ilustre, herói e santo, que viveu há uma vintena de séculos. Na Eucaristia, que é o Corpo e Sangue de Jesus, celebramos a Cristo nosso contemporâneo, realmente presente, não apenas simbolicamente recordado.

O livro do Deuteronómio recorda ao povo eleito o que Deus fez por ele. Sem Deus não tinha sido liberto da escravidão do Egito e teria sucumbido na travessia do deserto até lhe poder ser oferecida a Terra prometida. Moisés recorda ao povo que não se pode esquecer do seu máximo benfeitor, o Senhor Deus: “Foi Ele quem, da rocha dura, fez nascer água para ti e, no deserto, te deu a comer o maná, que teus pais não tinham conhecido”. E o novo maná, maravilhosamente superior, é a Eucaristia, o próprio Deus que Se oferece como alimento.

Recordar não é simples saudosismo. Recordar o que Deus tem feito por nós reforça a nossa identidade de amados por Deus omnipotente, sempre fiel, mesmo quando nós quebramos a aliança pelo pecado. Deus é “incorrigivelmente“ compassivo e misericordioso.

São Paulo, perante as divisões que havia na comunidade cristã de Corinto, faz um apelo à unidade, usando um argumento eucarístico: “Visto que há um só pão, nós, embora sejamos muito, formamos um só corpo, porque participamos do único pão” da Eucaristia. Este argumento continua perfeitamente atual: nós, que comungamos o mesmo Corpo de Cristo, temos de viver unidos. O laço mais forte da nossa união é o próprio Cristo que comungamos.

O trecho do Evangelho de São João relata o discurso eucarístico que Jesus fez depois do milagre da multiplicação dos pães e dos peixes, matando a fome a uma numerosa multidão. O entusiasmo foi tão grande que O quiseram fazer rei. Jesus Cristo clarificou que tal milagre era apenas a introdução de um milagre muito maior, a Eucaristia: “Quem come a minha Carne e bebe o meu Sangue tem a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia”. Agradeçamos a imensa graça de termos um Deus que Se nos dá em comunhão, como garantia de salvação eterna.

Oração:
Senhor Jesus Cristo, que neste admirável Sacramento nos deixastes o memorial da vossa paixão, concedei-nos a graça de venerar de tal modo os mistérios do vosso Corpo e Sangue que sintamos continuamente os frutos da vossa redenção. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo.

Shear it!

Padre António Justino Filho

Comunidade Canção Nova Portugal. Está neste momento numa imersão missionária na Diocese de Évora

Top
TV CANÇÃO NOVA | DIRETO
Estrada da Batalha - Apartado 199 - 2496-908 Fátima | Tlf.: 249 530 600 (chamada para a rede fixa nacional)
© Copyright 2020

TV Canção Nova | Direto


Rádio Canção Nova | Direto


Multimédia