Será que nos momentos de prova e desânimo temos um defensor?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Esta é um pergunta que fazemos muitas vezes diante de situações difíceis da nossa vida. Vejamos o que a Palavra de Deus nos diz neste 7º Domingo da Páscoa e tenhamos fé e confiança de que não estamos sozinhos.

foto | cathopic by Dimitri Conejo Sanz

Liturgia da Palavra

1ª Leitura: Actos dos Apóstolos 8, 5-8.14-17 | Impunham as mãos sobre eles e eles recebiam o Espírito Santo

Salmo Responsorial: Salmo 65 (66), 1-7.16-20 | A terra inteira aclame o Senhor

2ª Leitura: 1ª Epístola de São Pedro 3, 15-18 | Morreu segundo a carne, mas voltou à vida pelo Espírito

Evangelho: João 14, 15-21 | Eu pedirei ao Pai, que vos dará outro Defensor

Os Atos dos Apóstolos relatam-nos a expansão da Igreja nascente “entre as perseguições do mundo e as consolações de Deus”, usando uma expressão de Santo Agostinho. Também hoje vivemos neste clima, mas seguros e confiantes, pois sabemos que só Deus é omnipotente, não havendo dificuldades ou problemas que possam ser todo-poderosos. A força do Espírito Santo é concedida aos que se convertem a Jesus e o poder da Trindade Santíssima manifesta-se com sinais que ultrapassam as capacidades humanas.

São Pedro adverte-nos que, perante quem se opõe à nossa fé, devemos estar sempre disponíveis para apresentar “as razões da nossa esperança”, ou seja, do nosso ser cristãos. O apóstolo Pedro indica também o modo de o fazer: “com brandura e respeito”, evitando o estilo polémico, agressivo e impositivo. São conselhos de há uma vintena de séculos, mas perfeitamente atuais. Nas incompreensões, adversidades e oposições, encontraremos força e consolação recorrendo a Jesus Cristo que, sendo “perfeito Deus e perfeito homem”, foi incompreendido e perseguido até à morte de cruz.

Cristo, ao despedir-Se de nós, no discurso da Última Ceia, promete que pedirá ao Pai para nos enviar o Espírito Santo, o “Paráclito”. É um termo muito rico para apresentar a presença de Deus na nossa vida. Paráclito é aquele que num tribunal se põe do nosso lado e faz de nosso advogado de defesa, quer sejamos inocentes ou culpados. Falando da sua partida deste mundo, Cristo esclarece que não nos abandona nem nos deixará órfãos. Será importante reconhecer esta presença solícita de Deus na nossa vida, sobretudo em ocasiões de prova e desânimo.

Latest posts by Padre António Justino Filho (see all)
Shear it!

Padre António Justino Filho

Comunidade Canção Nova Portugal. Está neste momento numa imersão missionária na Diocese de Évora

Top
TV CANÇÃO NOVA | DIRETO
Estrada da Batalha - Apartado 199 - 2496-908 Fátima | Tlf.: 249 530 600
© Copyright 2020

TV Canção Nova | Direto


Rádio Canção Nova | Direto


Multimédia