Padre António Justino Filho
31 Julho 2022
0 Comments

Será que a minha vida depende apenas da abundância de bens?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Problemas graves afligem a humanidade e põem em risco a sua própria sobrevivência. A morte lenta de milhões de irmãos nossos subalimentados, as discriminações sociais e raciais, e o tormento da guerra, nunca desaparecida dum país, sem que primeiro se implante noutro, quase nos levam a concluir pela impossibilidade duma convivência pacífica entre os homens. Mas o Deus de Jesus Cristo e de nossos pais é um Deus de vida, de paz e de abundância, e não de morte, guerra e miséria; de libertação e não de escravidão. Confiando ao homem a missão de se governar e de governar os seus irmãos, Deus espera e exige do cristão, conhecedor da Sua vontade, o empenhamento incondicional na instauração da justiça entre os povos.

imagem | freepik

1ª Leitura: Livro de Coelet 1, 2; 2,21-23 — “Que aproveita ao homem todo o seu trabalho?”
Um sábio do povo de Deus do Antigo Testamento fez, como toda a gente, a experiência da vida; e tem sobre ela uma reflexão, talvez um pouco parecida com a que Jesus faz no Evangelho. Simplesmente, a reflexão do sábio de Israel não conseguiu chegar a descobrir o verdadeiro sentido da vida humana que Jesus veio enfim revelar. Sem a luz da revelação trazida por Jesus Cristo, o Filho de Deus feito homem, os outros homens, por mais homens que sejam, ficam a meio do caminho, com as suas desilusões.

Salmo 89 (90) — Senhor, tendes sido o nosso refúgio através das gerações.

2ª Leitura: Epístola de São Paulo aos Colossenses 3, 1-5.9-11 — “Aspirai às coisas do alto, onde está Cristo”
O cristão é o homem pascal, aquele que, pela fé e pelo baptismo, sacramento da fé, passou com Cristo da morte à vida, deste mundo para o Pai. E como tal há-de-viver, mesmo ainda na terra. Renovados por esta novidade pascal, fruto da Páscoa do Senhor, os batizados são como uma nova criação, vivendo todos da mesma vida, a vida de Cristo que a todos torna participantes do mesmo Corpo de Cristo.

Evangelho: São Lucas 12, 13-21 — “O que preparastes, para quem será?”
Jesus não olha para o mundo e a vida com a amargura do sábio de Israel (primeira leitura). Mas, através de uma meditação austera, faz-nos compreender que não é no espírito de ganância, pelo qual todos, ricos e pobres, somos tantas vezes levados, que está o verdadeiro sentido da vida, mas em cada um “se tornar rico aos olhos de Deus”.

Shear it!

Padre António Justino Filho

Comunidade Canção Nova Portugal. Está neste momento numa imersão missionária na Diocese de Évora

Top
TV CANÇÃO NOVA | DIRETO
Estrada da Batalha - Apartado 199 - 2496-908 Fátima | Tlf.: 249 530 600
© Copyright 2020

TV Canção Nova | Direto


Rádio Canção Nova | Direto


Multimédia