“Paremos este horror da tortura!”: o apelo de Francisco à comunidade internacional

O novo Vídeo do Papa faz um forte apelo à comunidade internacional para que se comprometa com a abolição da tortura. A intenção de oração não é por acaso: no próximo dia 26 de junho, comemora-se o Dia Internacional das Nações Unidas de Apoio às Vítimas da Tortura.

Francisco explica que, infelizmente, a tortura não é algo do passado, mas faz parte da história atual. A prática remonta à Idade Antiga e foi abolida, nos séculos 18 e 19, pelos países do Ocidente. Hoje, é totalmente proibida pelo direito internacional.

O Fundo das Contribuições Voluntárias das Nações Unidas para as Vítimas de Tortura tem ajudado a cada ano, desde 1981, uma média de 50 mil vítimas de tortura em todo o mundo. Isto ocorre com frequência, em zonas de conflito. Há também relatos de torturas psicológicas associadas às novas tecnologias.

Um agravante que dificulta a contagem e o acompanhamento de vítimas, segundo o comunicado do Vídeo do Papa, é a persistente lacuna de comprometimento, quando há uma negação sistêmica ou quando as autoridades públicas não assumem a responsabilidade.

Nuno Nogueira