Marta Nogueira
/

15 Junho 2018
0 Comments

LITURGIA DOMINICAL | 11º Domingo do Tempo Comum – Ano B

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A tradição veterotestamentária, à qual Jesus não é alheio, usa muito a imagem da árvore para evocar realidades da fé. A linguagem bíblica, na sua generalidade, é uma linguagem que capta os sinais do quotidiano para os transformar em símbolo da transmissão de uma mensagem. Ezequiel, na I Leitura , anuncia o restabelecimento futuro de uma situação aparentemente mais adversa, como o cativeiro da Babilónia que o próprio vive. Usando a imagem já tradicional do «ramo que sairá do tronco de Jessé» (Is 11,1), o profeta pré-anuncia o advento dessa era messiânica, que encontra em Jesus a sua plenitude e concretização. Através das parábolas, Jesus percorre toda a história do povo de Israel (a menor de todas as sementes) para alargar o horizonte da profecia de Ezequiel: é na confiança, como diz Paulo, e na humildade de quem procura agradar a Deus acima de todas as coisas que o Senhor pode transformar a vida de cada um em palco de grandes graças e milagres.

LITURGIA DA PALAVRA

I LEITURA – Profecia de Ezequiel (17,22-24) – Pela imagem dum cedro que morre e depois renasce, fala-nos o Senhor da queda do povo judaico e do renascimento do reino messiânico. Um ramo tenro, mas cheio de vida, será refúgio e abrigo universal. O esperado descendente de David salvará o povo. Contudo,
não raras vezes, depositamos mais confiança nos poderosos do mundo do que no Senhor.

SALMO RESPONSORIAL – Salmo 91(92), 2-3.13-14.15-16 – É bom louvar-Vos, Senhor.

II LEITURA – Segunda Epístola de São Paulo aos Coríntios (5,6-10) – O cristão é o homem da esperança. Esta esperança depositamo-la em Cristo Jesus. É mais fácil a vida quando Cristo tem um lugar entre os homens. Apesar disso, São Paulo não esconde a verdade de que o conhecimento de Cristo, pela
fé, é obscuro. Isto leva-o a classificar a nossa vida terrrena como um exílio. O encontro de Cristo face a face depende do modo como nos comportarmos enquanto vivermos na fé.

EVANGELHO – São Marcos (4, 26-34) – O Reino de Deus anunciado por Cristo, não aparece, em toda a sua plenitude, de um momento para o outro. O seu crescimento é lento, como o de uma árvore. Iniciado por Cristo, desenvolver-se-á pelas mãos dos homens, em nome de Deus. Este Reino é um Reino de paz,
amor e justiça.

Padre António Justino
(Padre Toninho)
Canção Nova Portugal

Shear it!

Marta Nogueira

Membro da Comunidade Canção Nova. Licenciada em Comunicação Institucional e atua nas Medias Digitais da Canção Nova. instagram: martanogueira.cn

Top
TV CANÇÃO NOVA | DIRETO
Estrada da Batalha - Apartado 199 - 2496-908 Fátima | Tlf.: 249 530 600 (chamada para a rede fixa nacional)
© Copyright 2020

TV Canção Nova | Direto


Rádio Canção Nova | Direto


Multimédia