Padre António Justino Filho
24 Julho 2022
0 Comments

Será que quando rezo quero que Deus me atenda de forma mágica?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A forma de rezar, de maneira agradável, ao Senhor, desde sempre preocupou o homem. Fazer-se ouvir junto de Deus e ser atendido é a grande aspiração do homem que reza. Uma espécie de devoção supersticiosa e comercial que havia de conduzir infalivelmente à concretização mágica da vontade do homem, dominou a oração durante séculos.

imagem | cathopic

Vamos hoje ultrapassando esse estádio de religiosidade, nem sempre esclarecido. A oração, sem deixar de ser pedido, é essencialmente ação de graças. E na justa medida em que é pedido, é compromisso: Comprometemo-nos a repartir o pão; a perdoar as ofensas de que porventura somos vítimas; a respeitar a dignidade humana. Contribuímos assim para a realização do nosso desejo que no fundo é a vontade do próprio Deus.

1ª Leitura: Livro do Génesis 18, 20-32 — “Se o meu Senhor não levar a mal, falarei”
Abraão era um homem profundamente solidário com aqueles que viviam a seu lado. Não se valeu da sua condição de justo para desprezar os que não o eram. Procurou antes obter de Deus o perdão para aqueles que mereciam ser castigados. Alguém, por isso, lhe chamou “cristão antes de Cristo”. Mas maior do que a fé de Abraão é a santidade e a misericórdia de Deus, que, não suportando o pecado dos homens, está sempre pronto a ouvi-los e a perdoar-lhes, sempre que estes saibam voltar-se para Ele.

Salmo 137 (138) — Quando Vos invoco, sempre me atendeis, Senhor.

2ª Leitura: Epístola de São Paulo aos Colossenses 2, 12-14 — “Deus fez que, unidos a Cristo, voltásseis à vida e perdoou todas as faltas”
No Baptismo, os cristãos são associados à morte e à ressurreição de Cristo; por isso, nenhum poder do mal triunfará deles, se guardarem sempre a sua condição de baptizados e, como tais, chamados à santidade. Foi para nos tornar participantes da santidade de Deus, que o Senhor Jesus Cristo Se entregou à morte sobre a cruz e nos libertou da morte eterna.

Evangelho: São Lucas 11, 1-13 — “Pedi e dar-se-vos-á”
Jesus dá vários ensinamentos aos discípulos sobre a oração: ensina-lhes o “Pai-Nosso”, que é o modelo de toda a oração; convida-os a implorar de Deus, com persistência, o auxílio para as suas necessidades; exorta-os a dirigirem-se ao Pai com toda a confiança.

Oração
Senhor nosso Deus, protetor dos que em Vós esperam, sem Vós nada tem valor, nada é santo. Multiplicai sobre nós a vossa misericórdia, para que, conduzidos por Vós, usemos de tal modo os bens temporais que possamos aderir, desde já, os bens eternos.

Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos.

Shear it!

Padre António Justino Filho

Comunidade Canção Nova Portugal. Está neste momento numa imersão missionária na Diocese de Évora

Top
TV CANÇÃO NOVA | DIRETO
Estrada da Batalha - Apartado 199 - 2496-908 Fátima | Tlf.: 249 530 600
© Copyright 2020

TV Canção Nova | Direto


Rádio Canção Nova | Direto


Multimédia